13 de mar de 2009

Dieta à base de carne afeta o cérebro

Pesquisas mostram que lesões atingem área cerebral que controla a fome e o gasto de calorias
Por: FERNANDA ARANDA
Jornal da Tarde

Duas pesquisas recém-concluídas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) atestaram que uma dieta rica em gordura animal (carne de vaca e porco) pode provocar lesões no cérebro, responsáveis por alterar o controle da fome e também o gasto calórico. Juntas, estas alterações cerebrais aumentam ainda mais o risco de obesidade, uma das doenças que mais cresce no País.

“O objetivo dos estudos foi identificar o motivo de algumas pessoas que comem muito engordarem e outras não”, afirma Lício Velloso, professor de da Unicamp e orientador das duas pesquisas.“Com os resultados, conseguimos apurar que o que diferencia os dois casos é a lesão no cérebro, que promove o desequilíbrio entre a sensação de saciedade e a eliminação de calorias”, afirma.

A análise dos danos cerebrais foi feita em camundongos. Os animais que comeram maior quantidade de alimentos sem qualidade nutricional apresentaram maior “mortalidade” de neurônios que controlam os mecanismos da fome. Para que o dano cerebral surgisse, foram de 8 a 16 semanas de dieta gordurosa o que, em vida humana, representa de 3 a 4 anos. Para Velloso, com os resultados, além de entender mais um mecanismo da obesidade, um novo caminho para o desenvolvimento de medicamentos foi aberto. A nova descoberta da ciência está em um contexto de aumento galopante do índice de brasileiros que apresentam sobrepeso.

Segundo uma publicação da Universidade de Brasília (UnB), só na região Sudeste a taxa de obesos cresceu 285% nas últimas quatro décadas, saindo de 0,2% para 0,77%. Nas escolas e creches, o problema com a balança dos alunos (11%) já supera até a desnutrição (4,3%), como mostrou o raio X nutricional dos estudantes feito pelo nutrólogo Mauro Fisberg e o instituto de pesquisas da Danone.

João Eduardo Nunes Salles, médico da Santa Casa e diretor da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), acredita que as razões por trás do aumento da obesidade são a mudança do padrão alimentar do brasileiro e também as facilidades trazidas pela vida moderna.

“O famoso prato de arroz, feijão, bife e salada deu lugar à comida industrializada. Sem contar a inatividade física. Tudo é automático, escada rolante, elevador, controle remoto.” O crescimento de obesos interfere no serviço público de saúde. Segundo o Ministério da Saúde, a oferta de cirurgia bariátrica (redução do estômago) cresceu 542% de 2001, quando o procedimento passou a ser realizado pela rede, a 2008. Ano passado foram 3.195 cirurgias ante 497.

Mais Lidas